Skip to content

USA AND THE BRAZILIAN ALCOHOL

May 6, 2009

EUA lançam plano para incentivar uso do álcool

FERNANDO CANZIAN
da Folha de S.Paulo, em Nova York

O governo dos Estados Unidos anunciou ontem um ambicioso plano de US$ 1,9 bilhão (cerca de R$ 4,1 bilhões) com o objetivo de disseminar a produção e a distribuição do álcool combustível no país. Não há nenhuma medida no sentido de revogar já a taxação sobre o produto brasileiro exportado para o mercado americano.

O Departamento de Energia norte-americano tornará disponíveis US$ 786 milhões do pacote de estímulo econômico aprovado pelo Congresso (de US$ 787 bilhões) para a produção de biocombustíveis.

Já o Departamento de Agricultura vai alocar cerca de US$ 1,1 bilhão nos próximos 30 dias para áreas do setor contempladas na “Farm Bill” (o orçamento do setor agrícola).

Com os preços do barril de petróleo em baixa no mercado internacional, os produtores de álcool nos Estados Unidos, cuja matriz é o milho, estão atravessando sérias dificuldades nos últimos meses. Ao menos sete produtores entraram em processo de concordata nos últimos 12 meses.

Em 2007, o Congresso dos Estados Unidos aprovou um requerimento que prevê quadruplicar, até 2022, a adição de álcool e outros biocombustíveis à gasolina consumida no país. Se cumprido o objetivo, isso deve significar uma demanda anual de ao menos 136 bilhões de litros de álcool.

Para ter uma ideia do tamanho do mercado americano, o Brasil consumiu, em 2008, o total de 105,9 bilhões de litros de combustíveis, incluindo todas as suas modalidades.

Na ponta do consumo, os norte-americanos pretendem adicionar 20% de álcool à gasolina até 2017. O ingresso do etanol brasileiro é difícil nos Estados Unidos devido à sobretaxa de US$ 0,54 por galão (3,78 litros) que o país impõe sobre o produto brasileiro.

Hoje, Brasil e Estados Unidos são responsáveis por pouco mais de 70% do álcool produzido no mundo (no caso norte-americano, de milho; no brasileiro, de cana-de-açúcar).

A chefe da Agência de Proteção Ambiental norte-americana, Lisa Jackson, estima que, no total (incluindo produção, transporte etc.), os biocombustíveis respondem por emissões de carbono até 16% menores do que os combustíveis baseados apenas em petróleo. O alvo do Congresso é atingir percentual mínimo de 20% nessa relação.

“Temos certeza de que isso será atingido”, diz Robert Dineen, presidente da Associação de Combustíveis Renováveis dos Estados Unidos. Ele qualificou como “passo não usual” o comprometimento do governo de Barack Obama de destinar quase US$ 2 bilhões no curto prazo ao setor.

Para Joel Velasco, representante da Unica (União da Indústria de Cana-de-Açúcar) nos EUA, a taxação sobre o álcool brasileiro (prevista até 2010) se tornará incongruente a partir da nova política.

English (almost)

U.S. launches plan to encourage use of alcohol

Fernando Canzian
the Folha de S. Paulo, New York

The U.S. government yesterday announced an ambitious plan of U.S. $ 1.9 billion (about U.S. $ 4.1 billion) in order to spread the production and distribution of alcohol fuel in the country. There is no measure to repeal the tax have on the Brazilian product exported to the U.S. market.

The Department of Energy North American make available U.S. $ 786 million of economic stimulus package approved by Congress (U.S. $ 787 billion) for the production of biofuels.

Already the Department of Agriculture will allocate about $ 1.1 billion over the next 30 days for the industry areas covered in the “Farm Bill” (the budget of the agricultural sector).

With the price of oil on low in the international market, producers of alcohol in the U.S., whose parent is the corn, are experiencing serious difficulties in recent months. At least seven producers entered in the process of composition in the last 12 months.

In 2007, the U.S. Congress approved an application that provides quadruple by 2022, the addition of alcohol and other biofuels to gasoline consumed in the country. If you met the goal, it must mean annual demand of at least 136 billion liters of alcohol.

For an idea of the size of the U.S. market, the country consumed in 2008, a total of 105.9 billion liters of fuel, including all its forms.

At the end of consumption, the Americans intend to add 20% alcohol to gasoline by 2017. The entry of Brazilian ethanol in the United States is difficult due to the surcharge of $ 0.54 per gallon (3.78 liters) that the country imposes on Brazilian product.

Today, Brazil and the United States are responsible for just over 70% of alcohol produced in the world (in the U.S., maize, in Brazil, from sugar cane).

The head of the Environmental Protection Agency of the U.S., Lisa Jackson, estimated that in total (including production, transport etc.)., Biofuels account for carbon emissions by 16% lower than those based only on fuel oil. The goal of Congress is to achieve minimum percentage of 20% in that relationship.

“We are sure this will be achieved,” said Robert Dineen, president of the Renewable Fuels Association of the United States. He described as “unusual step” the government’s commitment to Barack Obama to donate nearly $ 2 billion in short-term sector.

For Joel Velasco, representative of UNICE (Union of Industry of cane sugar) in the U.S., the Brazilian tax on alcohol (by 2010) will be inconsistent from the new policy.

No comments yet

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: