Skip to content

DIAGNOSTICO MOLA HIDATIFORME

April 9, 2009

Chegando ao Brasil , descobri alem do motivo inicial …O por que estou aqui?

molaO Centro de Neoplasia Trofobastica Gestacional foi para onde fui encaminhada, na Santa Casa da Misericordia no Rio de Janeiro. Nao posso ainda postar como e o hospital , mas as referencias nao deste centro , mas do hospital em geral, nao sao as mais tranquilizadoras. Ainda mais quando se perde um amigo na semana anterior , que havia estado internado no mesmo local, e com ajuda de amigos foi transferido para outro local onde acabou partindo.

Por falar nisso, amigos…essa palavra merece um post especial.Desde a minha chegada aqui, ficou claro a preocupacao ,tristeza e porque nao, a raiva de algumas pessoas,que nao conseguiram esconder tamanho sentimento nas expressoes faciais ( no popular caras e bocas). O que eu so tenho a lamentar, afinal, alguns adjetivos de qualidade estao na personalidade de cada um, outros sao adquiridos com o tempo. Infelizmente alguns nao os consegue nem de uma forma, nem de outra. Mas isso agora e mesmo antes nao tem importancia alguma, ate porque nada e eterno, um dia tudo acaba ( material) o que contamos sao com os sentimentos veradadeiros, ai entram os amigos. Porque quando o material acaba , a hora da verdade se inicia, e iremos colher o que plantamos no passado. Ai entra minha meu sentimento de pena, o unico que sobra pra determinadas atitudes. O tempo corre e nao tenho tempo pra desperdicar no que ja e Plano de Deus esta tracado.

Foram diversos “Welcome” recebidos , desde a abertura da porta da chegada no aeroporto, ate os telefonemas recebidos. E tao bom saber que somos queridos, amados e que fazemos falta de alguma forma. Esse calor humano, essa mao amiga, os sorrisos largos, o encontro que nos deixa rindo a toa, os papos colocados em dia, as portas abertas , a chave na mao , o passeio de indio (so pra agradar) porque eu dei a ideia, fora outas coisas que comento em outro post. Sem comentarios. Voces sao nota 1000000000000000000000000000000000000000000000! Sabem que podem contar comigo pro que der e vier, sempre puderam agora entao… Estou no SPC , SERASA, de voces! :)!

dr-pauloVoltando a MOLA . Por ser uma “doenca” rara, eu nunca havia escutado falar , acredito que muitas pessoas tambem, por isso resolvi posta-la. O encaminhamento nao poderia ser o melhor , tirando a referencia que tive, ao ler sobre o assunto, alem de ser o unico centro no Estado a tratar dessa anomalia, as pacientes estao nas maos do papa no assunto. Dr. Paulo Belford.

Os cuidados que devem ser tomados, acompanhamento praticamente que diario , as dificuldades, exames patologicos, acompanhamento psicologico e quimioterapia, assustam qualquer um , mesmo os mais tranquilos como o PAGETURNED. Mas a fe e a unica que nao pode ser abalada, a certeza de que os “Welcome”, estarao ao nosso lado, nos faz retornar ao equilibrio outra vez.

E triste saber que MOLA , e diagnosticada em paises do terceiro mundo. Sera que so porque nasci no terceiro mundo estou marcada? Nem vivendo no primerio por um bom tempo ajuda ?🙂 !

O site do Dr. Paulo explica bem o assunto:

O que é MOLA ?– Mola Hidatiforme, cujo nome científico é Doença Trofoblástica Gestacional, é uma gravidez, só que ANORMAL.Uma de suas principais características é o crescimento exagerado da placenta.
Qualquer mulher sadia, durante o período em que há possibilidade de engravidar (aproximadamente entre 12 e 50 anos), pode ter mola.Normalmente o óvulo da mulher é fecundado por espermatozóide do homem e, desta união, surge a criança e a placenta (que alimenta a criança durante a gravidez).
Caso ocorra alguma anormalidade nessa união, pode ocorrer a mola. É por isso que chamamos a mola de gravidez anormal.Quando uma mulher suspeita estar grávida, geralmente faz algum teste de gravidez. Este, normalmente é feito através da dosagem de um hormônio produzido pela placenta, o hCG.

 


Se a mola é uma gravidez,então ela também produz hCG

– Sim. Só que, como já foi dito, a mola é uma gravidez anormal e uma das suas principais características é o crescimento exagerado da placenta.Sendo assim, os níveis de hCG no sangue da mulher com mola estarão, geralmente, muito acima do valor dito normal.

Mas com o que se parece a mola ?– Com o crescimento exagerado da placenta, ocorre uma transformação dela em numerosas bolhas, cheias de líquido, que chamamos de vesículas. Estas vesículas, quando reunidas, lembram “cachos de uva” ou pequenas “bolhas” com líquido claro.
Existem, basicamente, dois tipos de mola : a mola completa e a mola parcial.
Na primeira, a mais comum, não há a formação da criança nem do saco que a protege durante a gravidez. Somente surge e cresce a placenta.
Já na mola parcial, menos comum, existem evidências da formação da criança ou de tecidos a ela relacionados. Isto não significa que, obrigatoriamente, existirá criança, à ocasião do diagnóstico. Tal possibilidade pode ocorrer e, também, a gravidez evoluir até o fim. Entretanto, não é o que ocorre mais freqüêntemente, e quando ocorre, a criança pode apresentar alguma anormalidade.
A mola pode ser encontrada também em abortos, gravidez nas trompas e, até mesmo, após gestações normais.Isto exige que qualquer material obtido do corpo da mulher, que resulte de abortos (seja espontâneo ou provocado) ou de cirurgias, seja obrigatoriamente examinado em laboratório .
Uma vez comprovada a existência da mola, torna-se indispensável retirá-la do útero.A melhor maneira de fazer isto é através da vácuo-aspiração, que é uma cirurgia semelhante a curetagem uterina só que realizada por um aspirador, sendo mais segura, fácil e eficiente.
A mola, maioria das vezes (80%), cura espontaneamente após ser retirada do útero.Outras, entretanto, cerca de 20%, ao invés de curar torna a crescer, podendo até penetrar nas paredes do próprio útero, quando é chamada de MOLA INVASORA.Em alguns casos a mola pode se soltar de dentro do útero e se alojar em outros lugares do corpo como pulmões, cérebro, fígado, vagina entre outros lugares menos comuns. Portanto, após a retirada da mola é necessário submeter-se a rigoroso acompanhamento para saber se a mola tende a cura ou não.

 

Então, MOLA é câncer ?– Não!Porém um dos  tratamentos utilizasse e quimioterapia,  casos, nos quais a mola invasora não é tratada no inicio, ocorre uma transformação maligna da mola, constituindo câncer, chamado de Coriocarcinoma.
Em geral os Hospitais e Casas de Saúde não possuem aspirador para retirar a mola.Por este motivo as pacientes com mola, geralmente, são encaminhadas para Centros Especializados onde existem os recursos necessários para tratar estes casos. Cada capital brasileira tem seu Centro Especializado. No Rio de Janeiro, ele se encontra na 33ª Enfermaria da Santa Casa da Misericórdia do RJ, à rua Santa Luzia, 206.Por isso, estes Centros Especializados recebem pacientes de todo o estado onde estão situados (às vezes até de outros estados), o que faz com que tenham, estatisticamente, um número elevado de pacientes com mola.

 

A mola é uma doença comum ?

– A freqüência da mola varia de um a outro país.É predominante em países na Ásia, África e América Latina, como por exemplo Filipinas, onde a incidência de mola é um caso para cada 80 gestações.É muito menos freqüente na Europa e Estados Unidos.No Brasil estima-se ocorrer uma mola em cada 200 gestações.

Como saber se é mola ou gravidez normal?

– No início, por ser a mola uma gravidez, os primeiros sinais e sintomas são aqueles encontrados no início de toda gestação : suspensão da menstruação, inchaço nos seios, enjôos, vômitos, etc. Às vezes, estes sinais e sintomas podem ser um pouco mais intensos que o normal.Além destes, existem outros sinais e sintomas que muitas vezes são característicos e levam o médico a suspeitar de mola mais facilmente.
• Enjôos e vômitos incontroláveis, levando a paciente ao emagrecimento;
• O útero fica mais amolecido do que na gestação normal e seu tamanho é maior que o esperado para idade da gravidez, calculada pela data da última menstruação;
• Ausência de sinais relacionados ao feto (partes fetais, movimentos e batimentos do coração, etc.) nos casos de mola completa, principalmente;
• Ovários aumentados de volume, sob a forma de cistos, que podem causar dor na barriga;
• Estado de intoxicação do organismo: elevação da pressão arterial, inchaço nas pernas e perda de proteína pela urina;
• O sangramento vaginal é o sinal presente na quase totalidade dos casos e tem características próprias.Geralmente não é acompanhado de dor, sendo seguido, algumas vezes, da saída de pedaços de mola (vesículas).Além disso, nos primeiros meses de gravidez pode aparecer como um tipo de “borra de café”, tornando-se, em seguida, abundante a tal ponto capaz de causar queda da pressão arterial. Caso haja eliminação de vesículas o útero, antes aumentado de tamanho, pode diminuir. Porém, de modo geral, o sangramento é pequeno, mas persistente por dias, semanas ou até mesmo meses 

QUIMIOTERAPIA!?!?Que horror !!!– Realmente assusta, mas após explicação detalhada o medo desaparecerá.
Quimioterapia é tratamento com remédios, cuja finalidade é destruir o tecido molar impedindo, deste modo, o seu crescimento e a invasão de outros órgãos sadios.
No caso da mola hidatiforme, a quimioterapia é feita através de injeções no músculo ou na veia por períodos de 5 a 8 dias, que chamamos de séries. Geralmente, nos casos iniciais da doença, uma única série pode ser suficiente.Mas, outras vezes, há necessidade de repetir várias séries para poder chegar à cura definitiva. Em algumas ocasiões especiais, após várias séries dos remédios, os níveis de hCG voltam a aumentar, as metástases podem não diminuir de tamanho, assim como o útero também pode continuar aumentado.Isto significa que a mola não está respondendo aos remédios usados, ou seja, ocorreu resistência a um determinado remédio.
Em tais casos os médicos pensam em mudar a quimioterapia, trocar os remédios ou mesmo acrescentar outros.
De qualquer forma, os intervalos entre as séries de quimioterapia devem ser de 7 dias, no mínimo, e 14 dias, no máximo, sendo que antes, durante e após o uso dos remédios é necessário fazer exames para avaliar as células que defendem o organismo, as que ajudam na coagulação do sangue e avaliar também o funcionamento do fígado, pois estes são os setores do organismo que mais sofrem com a ação dos remédios quimioterápicos.
Como os medicamentos usados no tratamento da mola são tóxicos e podem afetar o organismo da mulher de modo mais ou menos intenso, eles devem ser usados exclusivamente pelo médico, de preferência que trabalhe em centro de referência para a doença.É importante lembrar que, algumas vezes, há necessidade de internação hospitalar antes, durante e/ou após cada série de quimioterapia.
Embora possa causar intoxicação, as pacientes com mola devem entender que este tratamento é a única forma possível, segura e eficaz de conduzir à cura.Em casos em que a intoxicação é muito intensa e há alterações importantes dos exames de laboratório, o tratamento pode ser interrompido até que a paciente fique, novamente, em condições para prosseguir com a quimioterapia.
Sendo assim, as séries de quimioterapia serão mantidas enquanto as taxas de hCG não baixarem e, em alguns casos, poderão ser mantidas até pouco tempo depois de negativarem.

 

Como eu posso saber se estou com intoxicação pela quimioterapia ?– A intoxicação causada pela quimioterapia pode ser evidenciada pela diminuição das células de defesa, da coagulação ou alteração da função do fígado (vistos no exame de sangue), feridas na boca, sangramento digestivo, queda dos cabelos, coceira em todo o corpo, olhos amarelos, perda de peso, enjôo, vômitos, diarréia e descamação da pele.

 

Não tem jeito, vou ficar careca! E para sempre!– Não é assim.A intoxicação não é obrigatória, pode ocorrer ou não.Depende do remédio usado, da sua quantidade, do número de séries e da saúde da pessoa.E quando ocorre a intoxicação, geralmente, ela desaparece com o fim da quimioterapia, inclusive a queda dos cabelos, que voltarão a crescer normalmente, ficando até mais bonitos.

 

Selecionei um video do Dr.JVR .

A vida um presente de Deus , o final dela a Ele compete portanto , nos resta a fe, que como a Palavra diz  remove montanhas imagina uma mola !

 

English

Now I  know  one more  reason for my question: Why am I here? 
 Just in few days after I  arrived in my Country I saw myself in The Center for gestational neoplasm Trofobastica at the Santa Casa da Misericordia in Rio de Janeiro. I knew  the hospital, some of the best doctors are there, but the hospital in general, are not the most reassuring. Even more when you lose a friend in the previous week, who had been hospitalized in the same place, the situation overthere is not too good some of ours friends helped to move him out of that place. And now, I was there.
They said I have a rare  “disease” , I had never heard about, I believe  too many people have no idea like me, so I decided to make some posts about my journey. Unfortunatelly the hospital might not be the best, smells bad, everything broked, no AC…but this is the only center in the state that has treatment for this  anomaly, the patients are in very good hands the “pope “in cases like this matter. Dr. Paul Belford.

The treatment is not easy all care should be taken,  almost daily we need to be monitoring, the difficulties, pathological examination, psychological support and chemotherapy, frighten anyone, even the most calm person as I tought I was. But the faith is the only one  can not  to be shaken, friends help us a lot in this case .They make  us return to  the balance again.

The website of Dr. Paul helped me to understand what I do have. 

Hydatidiform mole, whose scientific name is gestational trophoblastic disease, is a pregnancy, but ANORMAL….is the excessive growth of the placenta.
Any healthy woman, during the period in which there is a possibility of pregnancy (approximately between 12 and 50 years), may have mola.Normalmente the woman’s egg is fertilized by sperm of the man, and this union, is the child and the placenta (which feeds the child during pregnancy).
If any abnormality occurs in this union, the spring can occur. That is why we call of anormal.Quando pregnancy a woman suspected to be pregnant, is usually a test of pregnancy. This usually is done through the strength of a hormone produced by the placenta, the hCG. 

If the mola is a pregnancy, then it also produces hCG

– Yes But, as already mentioned, the spring is an abnormal pregnancy and one of its main features is the excessive growth of placenta.Sendo well, levels of hCG in the blood of women with spring are usually far above the value above normal.

But with what looks like the mola? – With the excessive growth of the placenta, it is a transformation in many bubbles, filled with liquid, which called vesicles. These vesicles, when assembled, resemble “bunches of grapes” or small “bubbles” with clear fluid.
There are basically two types of mola: the  complete and partial .
At first, the most common, there is the training of the child or the bag that protects during pregnancy. Only appears and grows the placenta.
Already in the Molapart, less common, there is evidence of the formation of the child or tissues related to it. This does not mean that, necessarily, there is a child, the time of diagnosis. This possibility can occur, and also a pregnancy progressing to the end. However, it is not what happens more frequently, and when the child may present any abnormalities.

The mola can be found also on abortion, and pregnancy in the tubes, even after pregnancies normais.Isto requires that any material obtained from the woman’s body, leading to abortions (either spontaneous or induced) or surgery, must be examined in laboratory.
Once proven the existence of the spring, it is essential to remove it útero.A the best way to do this is through the vacuum-aspiration, which is a uterine curettage surgery similar to that performed only by a vacuum cleaner, and safer, easy and efficient.
In spring, most often (80%), heals spontaneously after withdrawal of útero.Outras be, however, about 20%, instead of curing it to grow and may even penetrate the walls of the uterus, where it is called MOLA INVASORA.Em some cases can release the spring from inside the uterus and are housed in other parts of the body like lungs, brain, liver, vagina less common among other places. Therefore, after removal of the spring is required to undergo strict monitoring to see if the spring tends to cure or not. 

  So Does it is  a cancer? – No, but use one of the treatments and chemotherapy, cases in which invasive mole is not treated in the beginning, is a malignant transformation of spring, is cancer, called Choriocarcinoma.
In general, the hospitals and health care buildings have no vacuum cleaner to remove mola.Por this spring with the patients usually are referred to specialized centers where the necessary resources to handle these cases. Each capital has its Brazilian Specialized Center. In Rio de Janeiro, he is in 33rd Infirmary of Santa Casa da Misericórdia, Rio de Janeiro, Rua Santa Luzia, 206.Por that these patients receive specialized centers throughout the state where they are located (sometimes even from other states), which is which, statistically, a large number of patients with spring. 

Is it a common disease?

– The frequency of the spring varies from one country to another prevalent in countries in Asia, Africa and Latin America, such as Philippines, where the incidence of spring is a case for every 80 gestações.É much less common in Europe and the Unidos.No Brazil it is estimated there is a spring in every 200 pregnancies.

CHEMOTHERAPY?? What horror! – Really scary, but after detailed explanation the fear can disappear.

Chemotherapy is treatment with drugs, whose purpose is to destroy the tissue molar preventing thus their growth and invasion of other organs healthy.
In the case of hydatidiform mole, chemotherapy is given through injections in the muscle or vein for periods from 5 to 8 days, we call series. Generally, the initial cases of the disease, a single series can be suficiente.Mas, sometimes, need to repeat series to come to a definitive cure. In some special occasions, after several rounds of medication, levels of hCG increase again, the metastases can not decrease in size as well as the uterus can also continue aumentado.Isto means that spring is not responding to drug use, ie , resistance to a particular medication.
In such cases the doctors believe in changing the chemotherapy, the drugs trade or add others.
In any event, the breaks between series of chemotherapy must be 7 days at least and 14 days in which, before, during and after the use of drugs is needed to run tests to assess the cells that defend the body they help in blood coagulation and also evaluate the functioning of the liver, because these are the sectors that most of the body suffering from the action of chemotherapeutic drugs.
As the drugs used to treat the spring are toxic and can affect the woman’s body in more or less intense, they must be used exclusively by the physician, preferably working in a reference to the condition important to remember that some sometimes need hospitalization before, during and / or after each round of chemotherapy.
Although it can cause poisoning, the patients with spring must understand that this treatment is the only way possible, safe and efficient conduct of the cura.Em where the poisoning is very intense and there are important changes in laboratory tests, treatment can be interrupted until the patient is again in position to continue with chemotherapy.
Thus, the series of chemotherapy will be maintained while the rates of hCG do not fall, and in some cases, may be maintained until shortly after the negative. 
 
Has no way, I will be bald! And forever! – Not assim.A intoxication is not mandatory, or can occur não.Depende of drug used, its quantity, the number of series and the health of pessoa.E when intoxication, generally, it disappears the end of chemotherapy, including the fall of hair, which re-grow normally, with even more beautiful.
12 Comments leave one →
  1. christiane permalink
    April 11, 2009 6:24 pm

    Estou pedindo a Deus por vc e tenho certeza que tudo vai sair bem. beijos, se cuida e me liga de vez enquando, ta?

  2. April 13, 2009 5:59 pm

    Cris!

    Um beijo grande , do tamanho do BJ´S.
    Thank you for everything!
    Love you!

  3. valquiria permalink
    April 13, 2009 8:11 pm

    Miga,nosso Deus é um Deus de milagres.
    Deixa ele agir na sua vida,pq ele tem um
    propósito em td isso.
    DEUS É FIEL!!!
    Bjjj,te amo, vc sabe onde me encontrar

  4. Adriana permalink
    April 14, 2009 12:43 am

    Li….fiquei assustada e ao mesmo tempo muito confiante…eu nunca tinha escutado falar sobre essa doença…mas creia tenha fé, nada nem ninguém nem o pior e melhor momento vão te abalar, pq. vc é uma guerreira, lutadora e vencedora….VC JÁ VENCEU ESSE MAL…..FALE PRA VC TODOS OS DIAS….VC LILIANE É UMA VENCEDORA.., NADA VAI TE ABALAR, VC JÁ ESTÁ CURADA EM NOME DE JESUS…..EU E MINHA FAMÍLIA TE AMAMOS MUITO, ESTOU AQUI SEMPRE EM TODOS OS SEGUNDOS, MINUTOS DESSA VIDA QUE VC PRECISAR……BEIJUSSS

  5. JORGE FLORES DOS SANTOS permalink
    April 28, 2009 6:12 am

    Porquê do nome “MOLA”?
    O que significa o “M”, o “O”, o “L”, e o “A”?

  6. April 28, 2009 7:28 pm

    Oi Jorge,

    O nome mola vem da forma como o tumor se apresenta. Formato de varias molas juntas. Para te falar a verdade nao acho nem um pouco parecido, mas …quem sou eu pra ir contra a nomenclatura medica.🙂 !
    Um abraco.

  7. Thais permalink
    July 30, 2009 3:41 am

    Oi Liliane.
    Há 9 meses atrás sofri com a mola tbm.
    Hj tô com a suspeita de uma “nova gravidez”. Ainda nao sei se molar ou normal.
    Você já conseguiu se curar completamente da mola? E em relação a filhos, será q poderemos ter filhos normalmente sem nenhum risco?

  8. August 3, 2009 2:28 pm

    Oi Tais,

    Da onde voce e?
    Como vc deve ter visto estou quase zerada. E tenho a certeza que vc tambem tera muito sucesso nessa gravidez. Pode-se sim, engravidar depois da mola ( acompanhando o tratamento ,e claro) e o bebe nasce abencoado, acredite. E importante o acompanhamento medico sempre! Beijos!

  9. Thais permalink
    August 21, 2009 4:21 am

    Olá Liliane,
    sou do Rio de Janeiro.
    Não fiz o meu tratamento na Santa Casa de Misericórdia pq nao foi preciso. Consegui sucesso e zerou rápido meu Beta.
    Escrevo só pra te dizer que no dia 30 deste mês completo 3 meses de uma gravidez NORMAL. Estou ótima e meu bebe também.
    Essa doença mecheu muiiiito comigo, acredito que com você também. Parece que ficamos impotente, diante da gravidade.
    Enfim, vai da tudo certo também pra vc se Deus quiser.
    Vc ainda está no Brasil fazendo tratamento?

    Beijoos

  10. September 3, 2009 3:24 pm

    gostaria de saber mais sobre essa doença a minha irmâ descobriu que tem a doença de mola,fiquei assustada gostaria de saber se em todo caso precisa de quimioterapia, ou se depende da frequencia.

  11. September 4, 2009 3:37 pm

    Oi Claudia,

    Sua irma vai ficar curada rapido assim como eu voce vai ver. Meu beta estava -1 no ultimo exame.Com certeza essa semana ja zerou. O tratamento continua mas o que preocupava ja nao existe mais. Acredito que a sua irma ja esteja em tratamento, nao “pode dar mole”. A quimio so e necessaria quando o beta HGC aumenta, ou se na radiografia dos pulmoes for registrada alguma coisa. No blog tem a cartilha da mola, da uma olhada, ela e bem explicativa mas resumindo e assim que funciona.
    Fica na paz e sucesso pra sua irmal tenho certeza que ela tb sera vitoriosa.

  12. juliana almeida permalink
    December 27, 2009 11:54 pm

    queria trocar experiencias com a tais destes comentarios como faço, pois tbm tive molas a 8 meses a atras minha beta esta zerada tbm, como esta a gravides esta ocorrendo tudo normal, espero que sim muito obrigado!!!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: